Temáticas Educacionais

Conferencista na ONU

Conferencista na ONU pelo Simpósio Internacional – Formando lideranças para o desenvolvimento futuro, em Genebra/Suíça.

Autor de mais de 20 obras

Vendidas nas maiores livrarias do país.

Prêmio Shift

Ganhador do Prêmio Shift – Agentes Transformadores com o case da Metodologia OPEE.

Autor da Metodologia OPEE

Utilizada atualmente por mais de 1500 escolas, com mais de 250mil alunos.

Eventos de sucesso

Acreditamos que a distância entre o sonho e a conquista é a atitude. Nossos trabalhos visam sensibilizar, motivar e orientar os participantes para que se tornem protagonistas de seus projetos de vida e adotem uma atitude proativa e responsável perante seus objetivos.

Todos os nossos trabalhos são voltados ao autoconhecimento para que cada indivíduo possa refletir sobre seus projetos vitais, inovar, agregar, participar ativamente da realidade, assim como fazer escolhas conscientes e autênticas e, sobretudo, alcançar a melhor versão de si mesmo.

Com mais de 29 anos de atividade temos conquistado resultados promissores, frutos da boa aceitação pelo público atendido e da credibilidade percebida pelos frequentadores dos nossos programas. Os trabalhos são sempre avaliados qualitativa e quantitativamente.

Conte conosco para fazer a diferença!

Para Alunos

Escolhas autênticas em um mundo narcisista

Em um mundo cada dia mais complexo, desafiador, acelerado e conectado é muito fácil se perder diante do afã de conquistar likes, compartilhamentos e visualizações.

Escolher de forma autêntica significa ouvir nossa voz interna, nossa bússola interior, nossos valores e crenças pessoais e assumi-los. Pesquisas indicam que escolhas autocentradas têm muito mais chances de felicidade e consequentemente de sucesso.

Neste evento descortinamos os perigos da construção de uma identidade narcísica, voltada ao prazer imediato, ou à aceitação externa dos nossos projetos vitais e convidamos o participante a assumir uma identidade a partir de sua singularidade, com dicas práticas para uma escolha profissional consciente e autêntica.

Projeto de vida: autoconhecimento, sucesso e felicidade

Um dos maiores desafios dos jovens na atualidade é o desenvolvimento e a implementação de um Projeto de Vida efetivamente funcional e próspero, transformando assim, um potencial latente em um sucesso real.

Diante de uma enorme competitividade e por viverem muitas vezes em um ambiente superprotegido, observamos uma grande parcela de indivíduos que não se desenvolvem plenamente, seja no sentido pessoal, acadêmico ou profissional.

Neste evento são mostrados caminhos e dicas práticas para que os jovens consigam vislumbrar meios para transformarem seus sonhos em projetos de vida.

A meta do encontro é motivar rumo a atitudes e comportamentos que os conduzam a uma existência sadia, feliz e próspera nas diversas esferas da vida.

Segundo levantamentos recentes, o panorama da escolha profissional em nosso país mostra que há muito a ser feito para que os alunos do Ensino Médio consigam obter um projeto de vida consistente. O mesmo se pode dizer em relação aos recém ingressos nas universidades.

 

Apenas cerca de 5% dos alunos sentem convicção sobre a carreira que pretendem prestar no vestibular. Sem uma definição profissional, o jovem sente menos motivação para estudar e até sua autoestima é afetada.

 

Neste evento informativo e motivacional, os jovens percebem a importância da proatividade e da autoestima para sua escolha profissional, empregabilidade e empreendedorismo.

Empoderamento pessoal e autoestima

Neste evento é trabalhada a importância do olhar que direcionamos às situações da vida, sejam elas desafiadoras ou favoráveis.

A forma como consideramos os fatos, situações e acontecimentos pode impactar na forma como nos sentimos.

A autoestima pode ser cultivada e desenvolvida por meio do desafio de crenças irracionais. Além de identificar emoções e conscientizar-se sobre impacto que elas têm sobre nossos pensamentos e ações, o intuito deste encontro é promover o empoderamento pessoal.

Vou prestar vestibular. E agora?

O vestibular continua sendo uma grande ameaça para muitos jovens, que diante de situações de competição sentem-se amedrontados e têm seu rendimento diminuído. Há alunos que sentem tanto medo e angústia em relação às provas que nem sequer tentam uma boa universidade por medo de falhar.

Os educadores e os familiares podem fazer uma grande diferença na vida dos adolescentes. Eles devem compreender as vicissitudes emocionais desta fase e proporcionar um direcionamento seguro e bem orientado para um estudo baseado na organização pessoal e escolar. Isso, em paralelo a uma relação de cumplicidade e afetividade. Como conseguir esta equação na medida certa?

Este evento é de grande auxílio na formação de um contexto sadio e produtivo para todos: alunos, pais e escolas.

Desenvolvimento da mente e orientações para o estudo

É muito comum as pessoas pensarem que as mudanças da adolescência são ocasionadas por hormônios, mas na realidade, as alterações hormonais ocorrem devido às alterações cerebrais, que comandam todo o funcionamento do corpo.

A adolescência é um período de experimentação e de importantes decisões. Quando os adultos estão por perto para amparar e orientar, esse processo se dá de modo muito mais favorável, uma vez que também é uma fase de intenso aprendizado social por meio das interações. Há também as intensas mudanças biológicas e corporais com as quais o jovem se depara.

Os professores e pais podem exercer grande contribuição para o sucesso nos estudos e no desenvolvimento dos jovens, entendendo como se processa o amadurecimento neurológico da infância à adolescência. Também é importante reconhecer as dificuldades e os potenciais para que se faça um planejamento adequado das melhores técnicas de comunicação e educação com esta faixa etária.

Motivação, animação e projeto de vida

A missão deste evento é oferecer um panorama geral sobre a adolescência hoje em dia, apresentando pesquisas internacionais sobre neurociência, abordando a questão da motivação e da animação para o aprendizado.

A partir de explicações claras sobre o funcionamento cerebral e comportamental do ser humano, mostramos como é possível incentivar as melhores habilidades e competências das pessoas, fomentando um ambiente que propicie o trabalho em equipe, o entendimento mútuo e a motivação.

Somos seres sociais e é a partir das relações que estabelecemos com os outros e com nós mesmos que nos desmotivamos ou, ao contrário, nos sentimos capazes e motivados diante das adversidades e desafios.

Caminhos para a construção da maturidade

A passagem da puberdade à adolescência e desta para a vida adulta é composta por momentos marcantes na vida dos jovens. Repletos de desafios, inquietações, medos e dilemas, estes momentos, ricos em crescimento pessoal, social, corporal e espiritual, podem ser bem vividos se os jovens receberem uma boa orientação e um direcionamento adequado, seguro e dedicado.

A missão deste evento é mobilizar os jovens ao amadurecimento, incitando o desejo de crescer e amadurecer. Percebemos a maturidade como uma decisão pessoal assentada em atitudes fundamentais perante a vida.

Crescer pode ser muito bom, especialmente quando nos colocamos como seres úteis aos nossos semelhantes, em relações harmônicas, de parceria verdadeira e buscamos trocas enriquecedoras em nossas vidas. É neste momento que se inicia o processo de amadurecimento, que tem mais a ver com o caráter e com as nossas atitudes do que com a idade cronológica.

Para Famílias

Vencendo a síndrome do imperador - Pais empoderados educam melhor

Temos observado um aumento assustador de casos de ansiedade, desmotivação e depressão entre crianças e adolescentes. Muitos têm sido criados como príncipes ou princesas e na hora em que enfrentam desafios, dificuldades ou frustrações adotam a postura de pequenos imperadores como se o mundo lhes devesse algo.

Em uma fase em que poderiam estar sonhando, se divertindo e aprendendo, muitos se encontram sofrendo emocional e até fisicamente, culminando em quadros que vão da apatia ao desinteresse escolar, da automutilação a tentativas de suicídio. Estudos demonstram que a felicidade está mais associada a relações afetivas saudáveis e ao estímulo ao desenvolvimento de virtudes (forças morais) que edificam nossa existência.

Sem respostas prontas, nem pílulas mágicas, mas oferecendo caminhos para que os pais se empoderem de seu papel, retomem a clareza de seus valores e assumam o comando do padrão educacional e moral de seu lar, são apresentados casos reais de famílias que têm encontrado meios de fortalecer a saúde, os valores e virtudes junto aos filhos.

A coerência entre os pais, a aliança casa-escola e o autoconhecimento são alguns dos elementos a serem debatidos com vistas a uma vida saudável, digna e realizada.

Como manter o equilíbrio emocional em tempos de crise

– Sabedoria, Humildade e Curiosidade em tempos desafiadores.

– Funcionamento cerebral diante do medo e de incertezas.

– Como lidar com medos, inseguranças e ansiedades.

– Fatores que promovem a saúde e o equilíbrio emocional.

– Como lidar com pensamentos e sentimentos em tempos de crise.

Meu filho chegou à adolescência. E agora?

Esta palestra aborda os desafios dos pais e da escola em educar adolescentes e desenvolver um projeto de vida juntos.

Enquanto os pais encaram a tarefa de educar um filho como um enorme sacrifício, boas escolas não conseguem obter sucesso em suas ações por falta de apoio da família. E a grande questão que fica é: quem e como se está educando essa geração de jovens? Nesta palestra, a psicologia cognitiva, a neurociência e a educação unem-se para ajudá-los.

A palestra funciona como um guia de orientação para pais e educadores em busca dos melhores caminhos para ser bem-sucedido na tarefa de educar os filhos para uma vida empreendedora. Atitudes que fazem a diferença no mundo profissional, como termos foco, alinhamento de papéis, metas claras e reuniões de debate são indicadas como caminhos para sair do automatismo e se obter maior protagonismo nos valores a serem cultivados no lar.

Trata-se de uma palestra que discute temas atuais como a visão da adolescência hoje. Apresenta exemplo de casos reais e expõe questões interessantes como sexo; drogas; relações entre pais e filhos, estudo e trabalho.

A importância da parceria entre a família e a escola para a serenidade dos filhos e profissionais

– Dicas para manter um engajamento positivo com os familiares, para o aprendizado dos filhos e a segurança da instituição.

– A importância de comportamentos colaborativos em momentos de crise e incerteza.

– O diálogo como ferramenta para o bom relacionamento entre pais e filhos e uma boa parceria casa-escola.

– A compaixão, a autocompaixão e a solidariedade para a busca da serenidade.

Pais sábios, filhos nobres - inspirações para uma educação transformadora

Muito tempo as atenções na formação dos filhos esteve voltada à inteligência. Hoje em dia porém, diante de intensas mudanças que temos passado em nossa sociedade é essencial construir uma sabedoria de vida que nos permita formar uma existência sadia, realizada e feliz.

Se a inteligência é a capacidade de resolver problemas, uma habilidade relacionada a interpretação, análise, comparação, cognição e numeração, a sabedoria é seu passo-além. Ela se refere a tudo isso, aliado à ética, à civilidade e à humanidade. Pais sábios, que se dedicam a construir um caráter elevado em seu lar preparam seus filhos para serem não herdeiros, e sim empreendedores, não mimados e sim seres autônomos, não egoístas e sim pessoas empáticas, que tem compaixão, respeito, responsabilidade social e humanizam suas relações.

Pais sábios dão aos seus filhos limites, o direito de não ter, a chance de aprender a esperar e de conquistar suas metas por si, o que culmina num caráter nobre diante do mundo.

A importância da participação dos pais na educação escolar e na formação do projeto dos filhos

Este evento tem como objetivo sensibilizar os pais acerca da importância de investirem na formação de um elo de apoio e cooperação mútua entre a casa e a escola. Segundo levantamentos internacionais sobre o tema, este fator é primordial para um bom andamento e rendimento escolar dos filhos.

Na apresentação, são indicados caminhos práticos para uma boa participação nas diversas etapas da vida escolar bem como maneiras para melhorar a comunicação com os filhos e diminuir os conflitos familiares, que de modo direto ou indireto interferem negativamente na educação e na formação moral dos filhos.

As 10 forças da alma na formação do caráter e da integridade

Uma vida mais realizada e uma maior eficácia pessoal são alcançadas quando se adota um conjunto de atitudes proativas perante a vida. Chamamos a estas de “forças da alma”, pois se referem a traços morais, que dependem de uma escolha e de um comprometimento com uma existência voltada a uma integração entre o que se pensa, sente e age.

Quando pensamos uma coisa e agimos de forma dissociada de nossos sentimentos, nos enfraquecemos pessoal e profissionalmente. As forças da alma nos abrem a possibilidade de uma autonomia e um poder pessoal notáveis e estão ao alcance de qualquer pessoa.

Neste evento, são apresentadas e explicadas cada uma destas forças e é feita uma reflexão sobre cada uma delas nas mais diversas situações cotidianas.

Caminhos para educar para a maturidade e a autonomia

Neste evento, as situações mais simples do cotidiano social e familiar são analisadas para auxiliar os pais a formarem um contexto no qual as crianças e os adolescentes percebam-se como parte de um elo de responsabilidades, que devem ser passo-a-passo incluídas em seu cotidiano. A proposta é formar uma visão de compromisso: com o outro, com a vida, com a dignidade.

A passagem da puberdade à adolescência e desta para a vida adulta é composta por momentos marcantes na vida dos jovens, que podem ser bem vividos se eles receberem uma boa orientação e um direcionamento adequado, seguro e dedicado.

O desafio em relação às crianças e adolescentes reside na motivação, na condução ao desejo de crescerem, tornarem-se autônomos e responsáveis pela própria vida. Enfim, precisam ser estimulados a terem metas e projetos e a se dedicarem verdadeiramente a concretizar o “seu melhor” como seres humanos.

Valores e caráter - felicidade e sucesso na educação dos filhos

É cada vez mais clara a necessidade de oferecer na escola e na família uma educação assentada em valores e que promova um caráter sólido diante de um mundo cada vez mais competitivo e desafiador.

Como fazer isto? Até onde vai a responsabilidade dos pais e dos educadores? Que ações práticas edificam a formação humana no lar e no contexto educacional? O que é caráter? Como desenvolvê-lo? Estes serão alguns dos temas abordados no evento.

Construindo a missão familiar

Quando afeto e limite são conciliados, com mensagens claras e exemplos coerentes, as chances de se alcançar uma boa educação aumentam. O pai e a mãe devem buscar falar a mesma língua e ter um alinhamento de seus papeis no lar, ou seja, um apoiar o outro.

Seja no casamento ou mesmo quando o casal não mora mais junto, os filhos precisam sentir que seus pais se entendem, se respeitam e se tratam com consideração. Isso é fundamental para que a missão familiar seja consolidada em valores que se sustentem no tempo.

As 10 forças da alma na formação do caráter e da integridade

Uma vida mais realizada e uma maior eficácia pessoal são alcançadas quando se adota um conjunto de atitudes proativas perante a vida. Chamamos a estas de “forças da alma”, pois se referem a traços morais, que dependem de uma escolha e de um comprometimento com uma existência voltada a uma integração entre o que se pensa, sente e age.

Quando pensamos uma coisa e agimos de forma dissociada de nossos sentimentos, nos enfraquecemos pessoal e profissionalmente. As forças da alma nos abrem a possibilidade de uma autonomia e um poder pessoal notáveis e estão ao alcance de qualquer pessoa.

Neste evento, são apresentadas e explicadas cada uma destas forças e é feita uma reflexão sobre cada uma delas nas mais diversas situações cotidianas.

Como formar uma visão e atitude otimista e proativa

Estamos diante de um mundo cada vez mais incerto, instável e desafiador. Fazer escolhas e definir as melhores atitudes perante a vida pessoal, familiar e profissional é algo bastante complexo, ainda mais sem referências seguras sobre o viver – como aquelas em que nos baseávamos no passado. Desde as pequenas decisões do cotidiano até as mais complexas, são cada dia mais difíceis de serem tomadas, diante de um cenário que nos oferece poucos parâmetros de segurança e confiabilidade.

São nos momentos difíceis que nos superamos, que crescemos, que transcendemos o status quo para uma posição mais proativa, mais positiva e mais saudável.

As crianças e adolescentes que educamos crescem com informações e cenas que muitas vezes os conduzem a uma postura imediatista, agressiva e depressiva.

De acordo com pesquisas internacionais, o otimismo é aprendido a partir do contexto em que se vive. Educar, assim, perpassa uma camada da consciência, por onde se forma a visão de mundo.

Nós somos os promotores do que se cria internamente no cérebro daquele que educamos e nossa missão somente se configura com maestria e resultados quando somos considerados pelos nossos jovens como pessoas envolventes e envolvidas com seu futuro.

Para Professores e Gestores

Os desafios do home office: (re)organização do tempo e do espaço dentro de casa

– Estratégias criativas e dicas práticas para um novo arranjo do espaço-tempo dentro de casa.

– O funcionamento do cérebro.

– A importância da agenda e da organização.

– O sono como promotor de saúde e no combate a doenças.

– Diferença entre isolamento e solidão, e a importância das conexões.

O papel do líder para a superação e resiliência

– O que significa resiliência, e como desenvolver esta atitude diante da vida nos momentos de maior vulnerabilidade.

– O papel do líder como exemplo de superação e resiliência.

– A importância das relações e das conexões para a superação de situações de crise.

– Comportamentos que prejudicam e que favorecem a resiliência.

Inteligência emocional e otimismo aplicados à liderança no momento atual

– Como adotar uma postura otimista realista e inteligente emocionalmente.

– É possível ser otimista em tempos de crise ou incerteza?

– Como não se contaminar pelo pessimismo ou cultivar sentimentos negativos e ansiosos?

– Qual a importância do líder em momentos de crise ou incerteza? Como podem inspirar ou pirar.

Como manter o equilíbrio emocional em tempos de crise

– Sabedoria, Humildade e Curiosidade em tempos desafiadores.

– Funcionamento cerebral diante do medo e de incertezas.

– Como lidar com medos, inseguranças e ansiedades.

– Fatores que promovem a saúde e o equilíbrio emocional.

– Como lidar com pensamentos e sentimentos em tempos de crise.

Como formar uma visão e atitude otimista e proativa

Fazer escolhas e definir as melhores atitudes perante a vida pessoal, familiar e profissional é algo bastante complexo, ainda mais sem referências seguras sobre o viver – como aquelas em que nos baseávamos no passado. Desde as pequenas decisões do cotidiano até as mais complexas, são cada dia mais difíceis de serem tomadas, diante de um cenário que nos oferece poucos parâmetros de segurança e confiabilidade.

São nos momentos difíceis que nos superamos, que crescemos, que transcendemos o status quo para uma posição mais proativa, mais positiva e mais saudável.

As crianças e adolescentes que educamos crescem com informações e cenas que muitas vezes os conduzem a uma postura imediatista, agressiva e depressiva.

É possível fazer muito com relação a esta situação que desola a todos. De acordo com pesquisas internacionais, o otimismo é aprendido a partir do contexto em que se vive e assim, mesmo uma criança com postura pessimista, que tenderia a desistir de seus estudos, pode mudar de atitude se envolvida por seus educadores e pessoas significativas de um modo especial: assentado em uma visão e uma ação iluminadas pela consideração e por relações significativas, claras, consistentes, seguras e amorosas.

Educar, assim, perpassa uma camada da consciência, por onde se forma a visão de mundo. Nós somos os promotores do que se cria internamente no cérebro daquele que educamos e nossa missão somente se configura com maestria e resultados quando somos considerados pelos nossos jovens como pessoas envolventes e envolvidas com seu futuro.

As 10 forças da alma na formação do caráter e da integridade

Uma vida mais realizada e uma maior eficácia pessoal são alcançadas quando se adota um conjunto de atitudes proativas perante a vida. Chamamos a estas de “forças da alma”, pois se referem a traços morais, que dependem de uma escolha e de um comprometimento com uma existência voltada a uma integração entre o que se pensa, sente e age.

Quando pensamos uma coisa e agimos de forma dissociada de nossos sentimentos, nos enfraquecemos pessoal e profissionalmente. As forças da alma nos abrem a possibilidade de uma autonomia e um poder pessoal notáveis e estão ao alcance de qualquer pessoa.

Neste evento, são apresentadas e explicadas cada uma destas forças e é feita uma reflexão sobre cada uma delas nas mais diversas situações cotidianas.

Os Projetos de Vida do Educador - por uma vida com mais propósito e  brilho nos olhos

É maravilhosa a sensação de vermos nossos alunos motivados, animados, sedentos de saber e querendo mais da vida. Esse é um dos nossos maiores sonhos não é mesmo? Pois este será o momento de refletirmos sobre o impacto do nosso próprio projeto de vida sobre nossa carreira e nossos resultados, enquanto agentes transformadores.

 

Ao pensar, sentir e agir de maneira empreendedora, alcançamos uma nova consciência e transcendemos as adversidades transformando cada situação de nossas vidas em uma nova oportunidade de revermos se o que nos move é de fato o que nos comove.

 

Um educador que se trata com dignidade, que se humaniza, que tem autocompaixão e se permite um mergulho em seu próprio autoconhecimento tem maiores chances de se aproximar da melhor versão de si mesmo e protagonizar uma vida bem sucedida e feliz. Vamos juntos?

Como e para quê construir projetos de vida a partir da escola?

A escola vem assumindo novas demandas educacionais. Diversos temas se incorporam dentro da missão educacional que hoje em dia se amplia na abrangência e na profundidade.

 

Não podemos nos paralisar diante da queixa de que a família não faz a sua parte ou que a sociedade está carente de valores. Com relação aos projetos de vida, estes devem ser trabalhados sistematicamente, desde a Educação Infantil, até o Ensino Médio, pois assim como a matemática não pode ser aprendida por meio de um evento isolado, assim também se deve pensar e atuar no sentido da formação de habilidades socioeducacionais.

 

Estudos internacionais indicam que o caráter pode e deve ser edificado em valores e em uma atitude empreendedora e a escola pode exercer uma grande contribuição neste sentido. Se queremos alunos que saiam da escola para transformar a sociedade para o bem, este processo começa com a motivação e a capacitação do próprio educador.

Como ensinar bem

Ministrar uma boa aula não é gratificante apenas para os alunos, mas também para o educador. Fazer um bom trabalho traz satisfação, bem-estar, saúde e felicidade. É a partir dos significados atribuídos pelo educador em relação a si, à vida, aos alunos e à sua própria missão que se consegue aumentar a motivação do aluno e conduzi-lo a um alto desempenho.

Neste evento falaremos sobre curiosidades do funcionamento do cérebro e como motivar ao aprendizado eficaz, além de apresentar técnicas para empoderar o educador de sua missão transformadora.

Vencendo a síndrome do imperador - Pais empoderados educam melhor

Vivemos desafios crescentes no mundo contemporâneo, no qual a formação das competências socioemocionais se tornaram essenciais para a construção de projetos de vida sadios, eficazes e felizes.

Está mais complexo o trabalho em sala de aula e na sala de casa também. Uma aliança segura e bem orientada entre a família e a escola é essencial para que o andamento e o rendimento escolar sejam favorecidos.

Sem pretender esgotar o tema, mas lançando ideias iluminadoras, serão apresentadas propostas claras e práticas para que a comunidade escolar seja capaz de inspirar os alunos a se aproximarem da melhor versão de si mesmos, não para se tornarem os melhores do mundo e sim os melhores para o mundo, capazes de exercerem ações transformadoras na sociedade.

AS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS DO EDUCADOR: inspirações e caminhos práticos

Relações família-escola e da presença cada vez mais intensa de inovações tecnológicas que redefinem o modo como vivemos, convivemos e trabalhamos, desenvolver e aprimorar as competências socioemocionais dos próprios educadores é uma excelente oportunidade para formar no contexto escolar um ambiente de felicidade com um mindset de crescimento e proatividade.

Valores e caráter - felicidade e sucesso na educação dos alunosÉ cada vez mais clara a necessidade de oferecer na escola e na família uma educação assentada em valores e que promova um caráter sólido diante de um mundo cada vez mais competitivo e desafiador.

Como fazer isto? Até onde vai a responsabilidade dos pais e dos educadores? Que ações práticas edificam a formação humana no lar e no contexto educacional? O que é caráter? Como desenvolvê-lo? Estes serão alguns dos temas abordados no evento.

Projetos de vida, projetos com vida, projetos para a vida – dicas práticas para motivar alunos e famílias a uma educação transformadora

Quando pensamos no futuro fica fácil perceber que estamos caminhando para uma realidade cada vez mais complexa, em que as grandes questões não serão mais resolvidas por meio de soluções fáceis. Tenderemos a viver mais anos, o que significa novas demandas, novas oportunidades, novas pressões e novos custos. Um mundo mais fragmentado e em que a sensibilidade e as competências socioemocionais vão fazer toda a diferença.

É fácil perceber, quando pensamos no amanhã, que a inteligência artificial e as novas tecnologias vieram para ficar, mudando formas de viver, de conviver, de trabalhar e de nos relacionar. Isso significa que para alunos que tenham um bom nível educacional, inspiração, acesso à tecnologia e atitude empreendedora, o futuro estará repleto de oportunidades e se não os prepararmos ao longo dos anos para se tornarem protagonistas do amanhã e de seus projetos de vida, estaremos inevitavelmente formando pessoas à margem de uma sociedade que seguirá o seu próprio caminho.

É hora de percebermos que chegou um novo tempo, que exige de nós uma formação completa e abrangente que possibilite a construção de projetos com vida e para a vida.

A autogestão docente e o encantamento em sala de aula: do conflito ao encontro de gerações

Vivemos um momento cultural em que as pessoas esperam cada vez mais de produtos, serviços e instituições. Esperamos o melhor, o mais rápido e o mais funcional. Outro dado: a interatividade. Esta veio para ficar. Isso pode ser visto pelo advento das redes sociais, nos museus que oferecem exposições interativas e sensoriais, entre outros. Interagir é agir entre, é somar. Há quem veja no encontro de gerações, o choque, e há aqueles que percebem as diferenças como complementos enriquecedores.

Como Educadores, é preciso educar constantemente nosso olhar, afinal trabalhamos na e pela diferença.

A proposta deste encontro é refletir sobre a autogestão e o encantamento docente em sala de aula para que o aprendizado seja gratificante, produtivo e sadio, para eles e especialmente, para nós. A forma como nos percebemos, como entendemos nosso papel e o significado que atribuímos à nossa prática docente é que irão determinar o encantamento que os educandos perceberão em cada dia na escola.

Professores encantadores são aqueles que escolheram trabalhar em contato com sua alma e transcendem os bloqueios e adversidades em busca de seu melhor como Seres Humanos que são. Educamos os alunos. Mas eles passam. E o que fica conosco é o produto de todas as relações que construímos em nossa trajetória de vida.

A importância do educador na formação do projeto de vida

Um dos maiores desafios dos jovens na atualidade é o desenvolvimento e a implementação de um Projeto de Vida efetivamente funcional e próspero, transformando assim, um potencial latente em um sucesso real. Diante de uma enorme competitividade, e por viverem muitas vezes em um ambiente superprotegido, observamos uma grande parcela de indivíduos que não se desenvolvem plenamente, seja no sentido pessoal, acadêmico ou profissional.

Desde as séries iniciais da escola, educadores de todas as áreas do conhecimento se tornam modelos de comportamentos e atitudes que futuramente direcionam a forma como os alunos percebem o mundo adulto, o trabalho e as próprias disciplinas que lhes são apresentadas. Professores com brilho nos olhos não apenas ensinam os educandos a trabalhar com amor pelo que se faz, como influenciam positivamente a percepção do discente sobre sua área de conhecimento.

O foco deste evento é motivar o educador a adotar uma atitude empreendedora, que sirva de modelo e referência para que os alunos se inspirem nele como adulto e ao planejar sua escolha profissional, seja para uma carreira executiva, na prestação de serviços, no comércio ou na atividade industrial, levem em conta as experiências vividas no contexto escolar para formar uma atitude empreendedora. Cada situação vivida em sala de aula: da leitura de um texto a uma dinâmica de grupo, na forma como se comunica uma nota e se dividem grupos de trabalho, tudo isso vai formando uma constelação de fatores que ao final de toda a vida escolar estão enraizadas na visão de mundo e de homem que o aluno desenvolve. A escola é uma ponte para a vida.

O empreendedorismo é um ato ético, na medida em que a atuação profissional tem impacto social. Assim, temos o dever de oferecer a quem nos contrata o nosso melhor. O contrário disso é negar o direito do outro de ser bem atendido, bem servido, de ter o melhor que pode ter. Diversos estudos internacionais sobre felicidade associam esta atitude de compromisso com o outro a uma vida feliz, sadia e produtiva.
Dados estatísticos e informativos são mostrados, tais como a relação de candidatos por vaga no mercado de trabalho atual, como ajudar o aluno a elaborar um currículo, quantos brasileiros se sentem satisfeitos em seu trabalho, entre outros, sempre com orientações claras para que os educadores a partir do Ensino Fundamental possam oferecer a formação integral necessária para o alcance da plena cidadania no futuro.

Caminhos para educar para a maturidade e a autonomia

As crianças e os jovens da atualidade estão cada dia mais exigentes com seus pais e educadores. Querem comprar mais, ser mais, ter mais, poder mais.

Por outro lado, observamos uma crescente apatia e desinteresse pelo próprio amadurecimento, além de uma grande dificuldade de se tornarem responsáveis por si mesmos, adquirindo a autonomia. Muitos jovens esperam que as coisas caiam de mãos beijadas e quando isto não acontece, se tornam apáticos ou agressivos com seus pais e professores.

A moralidade pode ser ensinada, mas deve ser também almejada. O desafio em relação às crianças e adolescentes reside na motivação, na condução ao desejo de crescerem, tornarem-se autônomos e responsáveis pela própria vida.

Neste evento, as situações mais simples do cotidiano social e familiar são analisadas para auxiliar os pais e educadores a formarem um contexto no qual as crianças e os adolescentes percebam-se como parte de um elo de responsabilidades, que devem ser passo-a-passo incluídas em seu cotidiano e não como ditadores dentro de sua própria casa ou na escola. A proposta é formar uma visão de compromisso: com o outro, com a vida, com a dignidade.

Motivação, animação e projeto de vida

A escola precisa se adaptar à realidade do mundo moderno e os professores enfrentam diariamente um grande desafio: ensinar as matérias escolares para alunos cada vez mais inquietos, impacientes e com forte contato com a tecnologia de ponta. Soma-se a isto o acúmulo de tarefas e as dificuldades cada vez maiores para motivar as crianças e adolescentes, e o que vemos pela frente é o desafio de encontrar automotivação e entusiasmo para educar.

Todos os anos novas demandas são incorporadas às tarefas dos educadores que hoje em dia, muitas vezes fazem o papel dos pais e demais familiares.

Sabemos que um dos fatores de maior relevância para o sucesso de uma escola é a qualidade das relações entre professores e alunos. Quando é formado um elo de confiança e apoio mútuo e quando os jovens e seus educadores formam um pacto tácito de cooperação, todos saem ganhando.

Educar dentro de um contexto de mudanças intensas pode ser inquietante, mas ao mesmo tempo muito gratificante, especialmente quando temos segurança de nosso papel, de nossos valores e de nossa missão.
Este é um bom momento para investir tempo e energia e fortalecer nossa convicção sobre o poder da automotivação e o entusiasmo do educador como molas propulsoras do sucesso dos alunos, dos professores e da instituição escolar.